Constata-se uma quase absoluta ausência de ofertas de formação — ao longo da vida — que permitam aos técnicos superiores atualizarem os seus saberes de referência, face aos novos desafios que se lhes colocam no âmbito da política de cidades e, especialmente, do enquadramento das políticas para as cidades sustentáveis, como por exemplo no âmbito da estratégia “Cidades Sustentáveis 2020” (Resolução do Conselho de Ministros n.º 61/2015). Por outro lado, o modo como vulgarmente se disponibiliza a informação, que segmenta saberes relativos às questões do ordenamento do território e quase nunca permite a sua leitura como modelo de gestão integrada, justificou o desenvolvimento deste plano de formação, onde a cidade, a edificação, a energia e os transportes se expõem de modo articulado, como um processo único e holístico, capaz de melhor satisfazer as necessidades dos cidadãos.

Por fim, estimula-nos a convicção de que este modelo de ensino em e-learning, que permite um estudo de forma flexível e colaborativa, vai facilitar e incentivar as entidades empregadoras a permitirem e assegurarem o cumprimento da sua obrigação legal de dar formação aos seus técnicos superiores.



Destinatários

Técnicos superiores interessados na área, dentro do espaço lusófono, em particular técnicos ao nível da administração local, ligados aos serviços de obras municipais e obras particulares (incluindo os serviços de planeamento, projeto e obra, licenciamento, resíduos e limpeza, espaços verdes, ambiente e SMAS).